I Love It Loud

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Dinho Ouro Preto!



Nascia na cidade de Curitiba capital do Estado do Paraná neste dia 27 mas em 1964.  Dinho se chama Fernando de Ouro Preto.


Dinho foi criado fora do país, filho de diplomata, de ótima família, morou em Washington (EUA), Viena (Áustria), e Genebra (Suíça), retornando ao Brasil com 16 anos de idade na cidade de Brasília na época da ditadura em que o movimento Punk era forte na época.



Dinho conheceu Renato Russo através de sua namorada, que era irmã de Flávio e Fê Lemos que faziam parte da Banda Aborto Elétrico.




Interessante que do Aborto Elétrico surgiram duas Bandas: Legião Urbana, e Capital Inicial da qual Dinho se torno vocalista aos 19 anos.






Em 1993 Dinho passou por um momento muito conturbado, ele saiu do Capital, teve envolvimento com drogas e bebidas, ficou numa pior mesmo até que em 1994 conheceu a arquiteta italiana Maria que estava visitando o Brasil, e o incrível...que ela estava de casamento marcado na Itália.



Se conheceram na festa do Video Music Brasil da MTV, ela voltou pro país dela, mas após seis meses ela voltou de vez.



Dinho parou de se drogar o dia inteiro, e se casaram. Ela deu uma nova guinada pra vida dele.




Dinho tem duas filhas, e um filho com Maria, Giulia, Isabel e Affonso.


Em 1998 Dinho voltou com o Capital Inicial e sua formação original.

Em 2009, mais precisamente no dia 31 de Outubro, Dinho sofreu um grave acidente durante um Show na cidade de Patos de Minas, em MG.



Caiu de uma altura de 3 metros, pra sorte de todos, sofreu apenas um leve traumatismo craniano.



Graças a Deus, hoje ele está muito bem, em Turnê com o Capital Inicial, e fazendo a alegria da galera!



Fica aqui, a homenagem do Blog ao Dinho!!!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Dia dos Goleiros!!!



Hoje é o dia do Goleiro!!!

Sabe qual foi o primeiro goleiro a usar luvas no Brasil? Jaguaré Bezerra de Vasconcelos, o Dengoso, do Vasco da Gama. Em uma excursão do time à Europa, em 1929, o goleiro trouxe a novidade: 2 pares de luvas de borracha, pretas por fora e vermelhas por dentro.


O meu bisavô foi Goleiro do Palestra Itália, conhecido por Gaúcho!
Não tinha nada de gaúcho, mas como adorava ficar tomando chimarrão, o apelido pegou, porém...preciso entrar em contato com algum historiador para saber mais detalhes, não encontrei nada.


Alguns goleiros que marcaram a minha geração desde que me conheço por gente, postarei fotos dos Goleiros que marcaram pra mim.


Waldir Peres.


Carlos.
   
Gilmar.

Rodolfo Rodriguez.



Grande Zetti, trabalhamos juntos pela Tribuna FM de Santos. Durante dois meses ele comentou os jogos comigo, gente da melhor qualidade!!!


Ronaldo.
      
Vellozo                                                            Rogério Ceni




Esse também foi fera, um show a parte!!!
Higuita da Colômbia!


O inesquecível Taffarel Tetracampeão em 1994.





 Zubizarreta da Espanha, pegava muito!


Goycochea da Argentina.


O extravagante Jorge Campos do México.



Dida.


Julio César.
Apesar da falha contra a Holanda na Copa, ele merece destaque, porém...sou a favor de renovação na Seleção...chega!


Sou a favor da convocação deste excelente goleiro que conheci quando fui setorista do Coritiba em 2006.


Artur que hoje defende o Benfica de Portugal.


Da nova safra de goleiros, destaco o Rafael do Santos, pois acompanhei de perto o trabalho deste excelente goleiro.




Abaixo estou entregando um prêmio ao goleiro no Morumbi.



E pra finalizar o nosso Pentacampeão Marcos!!!





Fica aqui a Homenagem do Blog aos goleiros que marcaram a minha existência até o presente momento.













quarta-feira, 25 de abril de 2012

Dia de Bola Rolando!


Nesta noite a bola rola pela Libertadores, clássico brasileiro no Beira-Rio em Porto Alegre.

O Peixe vai até a Bolívia encarar o Bolivar, e a altitude de 4 mil metros acima do nível do mar.



                                               COPA DO BRASIL

Tem o Verdão jogando na Vila Capanema em Curitiba contra o Paraná Clube.



terça-feira, 24 de abril de 2012

Video da casa onde foi realizado o Massacre!

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=b_VgX6aXUak

Acima o vídeo contando a história sobre o Massacre no Texas, e também o vídeo da casa sinistra, onde foi realizada a chacina!!!

O Massacre da Serra Elétrica!

Leatherface.jpg

A Verdadeira Historia do filme o massacre da serra eletrica!!


No dia 20 de agosto de 1973, a polícia foi enviada para a remota fazenda de Thomas Hewitt, um tranquilo vendedor, localizada em Travis County, Texas.


No local, foram encontradas a carcaça de aproximadamente 33 vítimas, uma terrível descoberta que chocou e mobilizou toda a nação que a chamou de "o mais grotesco caso de assassinato em massa de todos os tempos".


- Usando uma serra elétrica e vestindo uma máscara de pele humana, o assassino se tornou conhecido como Leatherface, quando um jornal publicou a seguinte manchete:
Casa dos Horrores assusta Nação - Massacre no Texas.


A polícia e o FBI encontraram um homem vestindo uma máscara de pele humana e o prenderam, declarando que ele era o assassino e iriam fechar o caso.



 Entretanto, nos anos seguintes, a medida em que investigavam novos casos e pistas, a polícia passou a suspeitar que prenderam o homem errado.


- Agora, pela primeira vez, o único sobrevivente conhecido decidiu quebrar o silêncio e contar a verdadeira história que ocorreu no deserto rural do Texas quando cinco jovens encontraram um terrível e louco assassino que espalhou medo, pânico e muito sangue na região no que foi eternamente conhecido como O Massacre da Serra Elétrica.



segunda-feira, 23 de abril de 2012

William Shakespeare!



William Shakespeare foi um poeta e dramaturgo inglês dos maiores da literatura universal (o crítico Harold Bloom definiu sua obra como o “centro estável do cânone ocidental”).


Batizado em 26 de abril de 1564 na cidade Stratford-upon-Avon e falecido em 23 de abril de 1616, teve como pais John Shakespeare, luveiro e sub-prefeito de Straford e depois comerciante de lãs e Mary Arden, filha de um rico proprietário de terras.


Casou-se com Anne Hathaway aos 18 anos de idade e teve três filhos: Susanna, e os gêmeos Hamnet e Judith.
Sua obra é composta por comédias, tragédias, tragicomédias, romances e sonetos e foram influenciadas por dramaturgos isabelinos como Thomas Kyd, Christopher Marlowe e pelo teatro medieval e peças de Sêneca.


Compô-las durante o reinado de Elizabeth I, tempos de ouro para a cultura e a arte na Inglaterra. Várias de suas peças foram representadas em Londres em 1592.



A respeito de sua ocupação no início da carreira há referencias de que ele foi cavalariço (quem tomava conta dos cavalos dos espectadores do teatro), além de atuar no palco e auxiliar nos bastidores.


Suas obras foram estudadas por diversos filósofos e psicanalistas como Arthur Schopenhauer, Freud e Goethe, devido a sua riqueza psicológica e existencial.




Faleceu no dia de seu aniversário, existe uma anedota entre os biógrafos supondo que ele morreu devido a uma forte febre causada pela embriaguez. Temendo que esvaziassem sua tumba para abrir espaço a novas, o que era costume de sua época, por isso há um epitáfio em sua lápide em que anuncia a maldição de quem mover seus ossos.




Algumas de suas obras mais importantes foram transformadas em áudio, todas elas estão entre as consideradas 100 obras mais importantes de todos os tempos:

 

A Comédia dos Erros

A Tempestade

Hamlet

Rei Lear

Otelo ou O Moro de Veneza

Sonetos

Abaixo suas principais obras:

Comédias

  • Sonho de uma Noite de Verão
  • O Mercador de Veneza
  • A Comédia dos Erros
  • Os Dois Cavalheiros de Verona
  • Muito Barulho por Nada
  • Noite de Reis
  • Medida por Medida
  • Conto do Inverno
  • Cimbelino
  • A Megera Domada
  • A Tempestade
  • Como Gostais
  • Tudo Bem quando Termina Bem
  • As Alegres Comadres de Windsor
  • Trabalhos de Amores Perdidos
  • Péricles, Príncipe de Tiro

Tragédias

  • Tito Andrônico
  • Romeu e Julieta
  • Júlio César
  • Macbeth
  • Antônio e Cleópatra
  • Coriolano
  • Timão de Atenas
  • Rei Lear
  • Otelo, o Mouro de Veneza
  • Hamlet (eBook)
  • Tróilo e Créssida
  • A Tempestade

Dramas históricos

  • Rei João
  • Ricardo II
  • Ricardo III
  • Henrique IV, Parte 1
  • Henrique IV, Parte 2
  • Henrique V
  • Henrique VI, Parte 1
  • Henrique VI, Parte 2
  • Henrique VI, Parte 3
  • Henrique VIII
  • Eduardo III

E ainda foram produzidos 420 filmes baseados em suas peças.

 "O mal da grandeza é quando ela separa a consciência do poder".     
William Shakespeare

sábado, 21 de abril de 2012

Bob Dylan!!!


Robert Allen Zimmerman, mais conhecido como Bob Dylan, (Duluth, 24 de maio de 1941) é um cantor e compositor norte-americano.


Nascido no estado de Minnesota, neto de imigrantes judeus-russos, aos dez anos de idade Dylan escreveu seus primeiros poemas e, ainda adolescente, aprendeu piano e guitarra sozinho. Começou cantando em grupos de rock, imitando Little Richard e Buddy Holly, mas quando foi para a Universidade de Mineapolis em 1959, voltou-se para a folk music, impressionado com a obra musical do lendário cantador folk Woody Guthrie, a quem foi visitar em New York em 1961.


Carreira
Um Início de Protestos
Dylan já lançou mais de 45 álbuns desde 1962, quando lançou seu primeiro disco, "Bob Dylan”, dedicado ao folk tradicional.


Seu segundo álbum, “The Freewhellin' Bob Dylan”(1963), contendo apenas canções de sua autoria, consagrou o músico com o hit "Blowin' In The Wind", que se tornou um hino do movimento dos direitos civis. 


Além desta, canções como "A hards-rain a gonna-fall", "Masters Of War", entre outras, tornaram-se clássicas como músicas de "protesto", embora Dylan mais tarde recusasse o rótulo de "cantor de protesto".


 Estas músicas, que entre outras compostas por ele, abordavam temas sociais e políticos numa linguagem poética, o tornaram um fenômeno entre os jovens artistas folk da época, levando-o ao estrelato folk, principalmente após sua participação no Newport Folk Festival de 1963, onde foi promovido pela "rainha" folk da época, a cantora Joan Baez. O sucesso do álbum "The Times They Are-A-Changing" (1964) apenas consolidou esta posição.


Mas logo Dylan mudou de rumos artísticos, afastando-se do movimento folk de protesto e voltando-se para canções mais pessoais, instrospectivas, ligadas a uma visão muito particular de mundo. 


As questões sócio-políticas de seu tempo: racismo, guerra fria, guerra do Vietnã, injustiça social, cedem espaço para a temática das desilusões amorosas, amores perdidos, vagabundos errantes, liberdade pessoal, viagens oníricas e surrealistas, embaladas pela influência da poesia beat. 


Esta transição se dá entre 1964 e 1966, quando Dylan eletrifica a sua música, passa a tocar com uma banda de blues-rock como apoio e choca a platéia folk, com sua aproximação ao rock.


Na época, muitos ignoravam que Dylan já havia tocado rock n'roll na adolescência e apreciava artistas country como Johnny Cash, que já trabalhavam com instrumentos elétricos desde os anos 50.


O sucesso dos Beatles e demais roqueiros britânicos na releitura do rock americano também chamaram-lhe a atenção. 


Em compensação, foi aclamado pela crítica, ampliou o seu público (mesmo sendo chamado de "traidor" por fãs do Dylan cantador folk), tornando-se cada vez mais influente entre artistas contemporãneos (John Lennon que o diga) e lançando os mais apreciados discos de sua carreira, com uma série de canções clássicas de seu repertório:


"Maggie's Farm", "Subterranean Homesick Blues", "Gates of Eden", "It's Alright Ma (I'm Only Bleeding)", "Mr. Tambourine Man", "Ballad Of A Thin Man", "Like a Roling Stone", "Just Like a Woman", entre outras, lançadas em seus álbuns mais inspirados: "Bringing It All Back Home" e "Highway 61 Revisited" de 1965 e o duplo "Blonde on Blonde", de 1966.



Transição

Em maio de 1966, após uma tumultuada turnê pela Inglaterra, devido ao formato rock dos shows, Dylan sofreu um grave acidente de moto que o afastou dos palcos e gravações até 1968. 


Em seu retorno, surpreendeu o público e a crítica com o álbum "John Wesling Hardin", fortemente influenciado pelo country, tendência que acentuou-se no trabalho seguinte, "Nashville Skyline", que trouxe o clássico "Lay Lady Lay" para as paradas. 


Limitando-se a apresentações esporádicas, das quais a mais importante foi sua participação no Festival da Ilha de Wight em agosto de 1969, além de sua participação no Concerto para Bangladesh, organizado por George Harrison em 1971, Dylan só voltaria a realizar turnês em 1974.



Anos 70

O que produziu no início dos anos 70 não foi bem recebido pela crítica, considerado muito abaixo de seus melhores momentos. Apenas algumas canções destacam-se: "If Not For You" (1970), "Knockin' on Heaven's Door" (1973), "Forever Young" (1974). 


Mas, ao voltar as turnês, acompanhado pelo grupo The Band, retorna a evidência e ao sucesso, principalmente pelo elogiado duplo ao vivo "Before the Flood" (1974).


Na retomada da carreira de forma mais ativa, Dylan produz "Blood On Tracks" (1975) e "Desire" (1976), seus melhores discos nos anos 70, aclamados pela crítica. Deste último, a canção "Hurricane", baseado na história de Rubin Carter, um boxeador negro preso injustamente, foi um sucesso espetacular, ao mesmo tempo que a turnê Roling Thunder Revue (75/76) era aclamada por crítica e público.





Conversão

Após seu divórcio em 1977, da esposa Sara Lownes, com quem era casado desde 1965, Dylan viveu uma grande crise pessoal, que refletiu-se em seu trabalho artístico. 


Depois de uma turnê mundial em 1978, em parte registrada no duplo ao vivo "At Budokan" (gravado no Japão), ele voltou-se para a música gospel, após converter-se ao cristianismo e filiar-se a uma igreja.


 Foi o período mais controverso e polêmico de sua carreira, principalmente por Dylan afastar-se de seu repertório clássico e investir em canções com temática cristã.


 Nesta nova fase, surprendeu seus antigos fãs e se apróximou de músicos do segmento cristão, como Larry Norman, Chuck Girard[2] e Keith Green, em cujo álbum "So You Wanna Go Back to Egypt" chega a gravar uma participação com sua harmônica.



Mais importante do que isso, motivado por sua nova espiritualidade, Dylan gravou três álbuns: "Slow Train Coming" (1979) considerado o mais inspirado dos três, deu a Dylan um Grammy de melhor vocal masculino, pela canção "Gotta Serve Somebody".


O segundo álbum, "Saved" (1980), teve uma recepção menos entusiasmada, embora na opinião de Kurt Loder da Rolling Stone este álbum fosse superior ao primeiro. "Shot of Love" (1981) encerra a fase cristã de Dylan.

A despeito da intolerância das críticas à época do seu lançamento, em 2003, o conteúdo das músicas de "Gotta Serve Somebody" foi depurado, revisitado e redimido por nomes como Shirley Caesar, Helen Baylor, Chicago Mass Choir e outros representantes da música afro-americana, em "The Gospel Songs of Bob Dylan", um CD que se desdobrou em indicação para o Grammy e em documentário (2006) sobre esta fase. 


O jornal International Herald Tribune declarava que a interpretação afro-americana levava a música de Dylan a um outro patamar.






Anos 80

Com "Infidels", de 1983, Dylan afasta-se da fé cristã, volta-se inesperadamente para as suas raízes judaicas e parece reencontrar certo equilíbrio artístico.


Bem recebido pela crítica, é considerado seu melhor álbum desde Desire. As apresentações ao vivo, em que volta a interpretar suas canções clássicas, marcam uma reconciliação com seu público.


Em 1985 participa do especial We are the world com outros 40 grandes nomes da música estadunidense -entre eles Michael Jackson, Tina Turner, Ray Charles, Stevie Wonder - pela campanha contra a fome na África.



Dylan continua a gravar regularmente, buscando uma sonoridade "made anos 80" ao mesmo tempo em que tenta preservar seu estilo.


"Down In The Grovy", álbum de 1988, passou despercebido, contém várias covers, mas equivale a uma declaração de princípios, com canções de folk-rock, gospel, rock, que demarcam os gostos artísticos preferenciais do artista.


Depois de uma turnê com a lendária banda californiana Grateful Dead, ele lança o álbum "Oh Mercy" (1989), elogiado pela qualidade inesperada das canções e volta às paradas com o super-grupo Traveling Wilburys, formado com os amigos George Harrison, Tom Petty, além de Jeff Lynne e Roy Orbison.




Anos 90

No início dos anos 90, Bob Dylan parece dar uma "parada" na carreira. Para comemorar e fazer um balanço de seus 30 anos de trajetória, ele volta a gravar folk tradicional, acústico, sem importar-se com o pouco apelo comercial deste gênero nos dias atuais. 


Em 1992 é realizado um show-tributo em grande estilo, com a participação de vários nomes do rock, country e do soul cantando suas músicas: Eric Clapton, Stevie Wonder, Neil Young, Willie Nelson, Lou Reed, Eddie Vedder entre outros.



Depois do acústico produzido para a MTV em 1994, Dylan só voltaria com um CD de inéditas em 1997 (Ano que vários outros famosos voltaram a ativa com sucesso, entre eles os Bee Gees.


O álbum "Time Out Of Mind" ganharia vários prêmios Grammy e foi considerado por muitos uma nova ressurreição artística, confirmada pela qualidade de "Love and Theft" (2001). 


Neste mesmo ano a revista Rolling Stone publicou uma lista com as 500 melhores músicas da história e em primeiro lugar ficou Like a Rolling Stone, de Bob Dylan. 


Atualmente registra-se um novo interesse pela vida e obra de Dylan, com o lançamento oficial de várias gravações piratas, além do lançamento do documentário "No Direction Home", de Martin Scorsese, que flagra os anos iniciais de sua carreira (1961-1966) e, mais recentemente, com "Modern Times", seu novo álbum lançado em 2006, com o qual, pela quarta vez na carreira, Dylan conquistou a liderança do ranking dos mais vendidos dos Estados Unidos, vendendo 192.000 cópias na primeira semana.


 A última vez que Dylan tinha alcançado a liderança nos Estados Unidos, foi com o álbum "Desire", de 1976, que ficou 5 semanas no topo das paradas. Antes disso, alcançou o primeiro lugar com o clássico disco "Blood On The Tracks", em 1975, e com "Planet Waves", no ano anterior.

Pintor



Bob Dylan também pinta e desenha tendo lançado um livro de desenhos "Drawn Blank" em 1994.



Fez a sua primeira exposição denominada "The Drawn Blank Series" no Museu Kunstsammlungen em Chemnitz (Alemanha) (onde há obras de Munch e Picasso) entre Outubro de 2007 e 3 de Fevereiro de 2008 com 175 aquarelas e guaches.


Escritor

Dylan escreveu o livro Tarântula em 1966, mas só foi publicado em 1971. Foi publicado em Portugal em 2007.
           
Neste dia 21, e amanhã dia 22 Bob Dylan se apresenta na Capital Paulista!!!





sexta-feira, 20 de abril de 2012

Ataulfo Alves!!!




Ataulfo Alves de Sousa era um dos sete filhos do Capitão Severino, violeiro, sanfoneiro e repentista da Zona da Mata, nasceu em 2 de maio de 1909 na Fazenda Cachoeira, propriedade dos Alves Pereira, no município de Miraí, MG.


Com oito anos, já fazia versos, respondendo aos improvisos do pai. Com a morte deste, a família teve de se mudar para a cidade, onde aos dez anos começou a ajudar a mãe no sustento da casa: foi leiteiro, condutor de bois, carregador de malas na estação, menino de recados, marceneiro, engraxate e lavrador, ao mesmo tempo em que estudava no Grupo Escolar Dr. Justino Pereira. 


Aos 18 anos, aceitou o convite do Dr. Afrânio Moreira Resende, medico de Miraí, para acompanhá-lo ao Rio de Janeiro, onde fixaria residência. Durante o dia, trabalhava no consultório, entregando recados e receitas, e, a noite, fazia limpeza e outros serviços domésticos na casa do médico.




Insatisfeito com a situação, conseguiu uma vaga de lavador de vidros na Farmácia e Drogaria do Povo. Rapidamente aprendeu a lidar com as drogas e tornou-se prático de farmácia. Depois do trabalho voltava para casa no bairro de Rio Comprido, onde costumava freqüentar rodas de samba. Já sabia tocar violão, cavaquinho e bandolim, e organizou um conjunto que animava as festas do bairro. 


Em 1928, com apenas 19 anos, casou-se com Judite. Nessa época, em que já começara a compor, tornou-se diretor de harmonia de Fale Quem Quiser, bloco organizado pelo pessoal do bairro. 


Em 1933, Bide, que viria a fazer sucesso com o samba Agora e cinza (com Marçal), ouviu algumas composições suas no Rio Comprido, e resolveu apresentá-lo a Mr. Evans, diretor americano da Victor. 


Foi então que Almirante gravou o samba Sexta-feira, sua primeira composição a ser lançada em disco. Dias depois, Carmen Miranda, que ele havia conhecido antes de ser cantora, gravou Tempo perdido, garantindo sua entrada no mundo artístico. Em 1935, através de Almirante e Bide, conseguiu seu primeiro sucesso com Saudade do meu barracão, gravado por Floriano Belham. 


Seu nome cresceu muito quando apareceram as gravações do samba Saudade dela, em 1936, por Silvio Caldas e da valsa A você (com Aldo Cabral) e do samba Quanta tristeza (com André Filho), em 1937, por Carlos Galhardo, que se tornaria um dos seus grandes divulgadores. 




Passou a compor com Bide, Claudionor Cruz, João Bastos Filho e Wilson Batista, com quem venceu os Carnavais de 1940 e 1941, com Oh!, seu Oscar e O Bonde de São Januário.




Em 1938, Orlando Silva, outro grande interprete de suas musicas, gravou Errei, erramos. Em 1941, fez sua primeira experiência como intérprete, gravando seus sambas Leva, meu samba... e Alegria na casa de pobre (com Abel Neto).


Em 1942 a situação financeira difícil e a hesitação dos cantores em gravar sua ultima composição fizeram com que ele próprio lançasse, para o Carnaval do ano, Ai, que saudades da Amélia; gravado com acompanhamento do grupo Academia do Samba e abertura de Jacó do Bandolim, o samba, feito a partir de três quadras apresentadas por Mário Lago para serem musicadas, resultou em grande sucesso popular.


Juntos fizeram ainda Atire a primeira pedra, para o Carnaval de 1944, e em 1945 lançaram Capacho e Pra que mais felicidade. 


Resolvido a continuar interpretando suas músicas, juntou-se a um grupo de cantoras, organizando um conjunto que, por sugestão de Pedro Caetano, foi chamado de Ataulfo Alves e suas Pastoras. 


Inicialmente formado por Olga, Marilu e Alda. Representativas da década de 1950, quando faziam sucesso musicas de fossa e de amores infelizes, são suas composições Fim de comedia e Errei, sim, gravadas por Dalva de Oliveira.


Em 1954 participou do show O Samba nasce no coração, realizado na boate Casablanca, quando lançou o samba Pois é... O pintor Pancetti gostou muito da musica e, inspirado nela, fez um quadro com o mesmo nome, que ofereceu ao compositor. 


Compôs então Lagoa serena (com J. Batista), dedicando-a a Pancetti, que, novamente, o homenageou com a tela Lagoa serena.


Convidado por Humberto Teixeira, em 1961 participou de uma caravana de divulgação da musica popular brasileira na Europa, para onde levou Mulata assanhada e Na cadência do samba (com Paulo Gesta), que acabara de lançar. 

Retornou no mesmo ano e fundou a ATA (Ataulfo Alves Edições), tonando-se editor de suas musicas.


Por essa época, desligou-se de suas pastoras – na ocasião Nadir, Antonina, Geralda e Geraldina –, passando a se apresentar sozinho, esporadicamente. 


Depois de realizar em 1964 uma temporada no Top Club, do Rio de Janeiro, como sentisse piorar a úlcera no duodeno, em 1965 decidiu passar o seu titulo de General do Samba para seu filho, Ataulfo Alves Júnior. 

Em decorrência do agravamento da úlcera, morreu após uma intervenção cirúrgica, no Rio de Janeiro em 20 de abril de 1969.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Quem é Rei Nunca Perde a Majestade!!!



Roberto Carlos Braga nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo, em 19 de abril de 1941.

É filho do relojoeiro Robertino e da costureira Laura.
Na infância, seu apelido era Zunguinha. 


Ele estreou na rádio ZYL-9 aos 9 anos, cantando o bolero Amor y Más Amor.
Aos 9 anos, ele se apresentou numa rádio local imitando o cantor Bob Nelson, que cantava música country. Ele foi o primeiro ídolo de Roberto.


 Em 1959, numa boate no Rio de Janeiro, imitava João Gilberto.

O primeiro compacto lançado pelo Rei saiu pela gravadora Polydor, em 1959.


Todos os demais saíram pela Columbia, futura CBS, que, em 1988, mudou de nome mais uma vez para Sony Music.



O disco Louco Por Você, de 1961, é o mais cobiçado do mercado brasileiro. Foram feitas apenas 500 cópias e nunca mais foi relançado.


Entre os colecionadores, é cotado em até 3 mil reais. Ao contrário de quase todos os seus outros LPs, não há foto de Roberto na capa.



No primeiro filme que estrelou, Roberto Carlos em Ritmo de Aventura, de 1968, ele foge de bandidos que querem raptá-lo. Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa, de 1969, mostra as aventuras do Rei, de Wanderlea e de Erasmo Carlos na Ásia e na África, à procura de um diamante perdido.


No último sucesso, Roberto Carlos a 300 km/h, de 1971, ele vive um mecânico com dois sonhos: ser piloto de corridas e conquistar a namorada do patrão.


Em 1968, Roberto foi o grande vencedor do 23º Festival de San Remo, com a música Canzone per te , de Sergio Endrigo.

Com o show "Emoções", em 1983, que reuniu 600 mil pessoas em várias cidades do país, ele comemorou a venda de 25 milhões de discos em 22 anos de carreira.

Um dos mais controversos CDs do Rei foi gravado durante o programa Acústico MTV, em maio de 2001. Seu lançamento acabou sendo adiado quatro vezes.


Quando saiu, apresentou vendagem na casa de 1,8 milhão de cópias. A Globo tem contrato de exclusividade sobre as imagens de Roberto Carlos e não permitiu que o show fosse exibido na MTV.

O tradicional especial de natal, promovido todos os anos pela Rede Globo, teve algumas surpresas em 2006.


 Primeiro, Roberto Carlos cantou o sucesso funk "Se Ela Dança, Eu Danço", em dueto com MC Leozinho. 


Depois o Rei cantou a música "Negro Gato", canção que não era cantada desde que Roberto decidiu abolir de sua vida tudo relacionado ao mal. 


Depois do show, o Rei afirmou que essa mudança foi uma grande consquista, alcançada com a ajuda de terapia.


No dia 19 de dezembro de 2006, o escritor Paulo César de Araújo lançou uma biografia não autorizada de Roberto Carlos. 


O Rei tentou proibir o lançamento de "Roberto Carlos em Detalhes", da Editora Planeta. 


Segundo amigos do cantor, ele se chateou com os trechos que falavam sobre seus relacionamentos amorosos e com o relato do acidente que lhe fez perder parte da perna. O caso foi parar na Justiça.


 Em 27 de abril de 2007, depois de 22 mil exemplares vendidos, a Planeta foi obrigada a tirar o produto do mercado, pois os advogados de Roberto Carlos ameaçaram entrar com uma ação criminal.


 A editora teve que entregar 10.700 exemplares que estavam em seu depósito para Roberto Carlos. 


O autor, Paulo César de Araújo, declarou: "Só quis contar a bela história do Roberto Carlos e ressaltar a importância dele.


 Foi um trabalho de pesquisa de 15 anos e até abriria mão dos direitos para preservar a venda do livro".

397. Este é o número de músicas que o Rei gravou só em português, em 57 discos. Também fazem parte de seu repertório 244 canções em espanhol, 61 em italiano, 4 em francês e 12 em inglês.


O cantor vendeu cerca de 84 milhões de discos no mundo ao longo da carreira. Em 1994, tornou-se o primeiro artista latino-americano a vender mais discos que os Beatles.

Lady Laura, mãe do cantor, morreu em 17 de abril de 2010, vítima de insuficiência respiratória.


Roberto Carlos estava se apresentando em um show em Nova York no momento em que a mãe faleceu. 


No palco, interpretou a música "Lady Laura", ainda sem saber do que havia acontecido. No Brasil, a imprensa já havia anunciado a morte antes mesmo de o cantor receber a notícia.


Na foto Roberto e sua mãe Lady Laura.
Pra encerrar nossa homenagem, ouça no Link abaixo a canção Lady Laura.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=drgIZTDATqU