I Love It Loud

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Para Sempre "The Beatles"



Dando sequência na matéria dessa Banda Fantástica, estarei falando sobre o primeiro compacto gravado por eles.

Em 1962 foi gravado na EMI o primeiro compacto dos Beatles contendo "Love me Do" e "P.S. I Love You". Segundo boattos nunca confirmados, o próprio Brian Epstein teria comprado  dez mil cópias do disco, colocando a banda imediatamente no topo das paradas, de onde não sairia mais nos próximos anos.
O Brian investiu, e acreditou no potencial deles, que visão heim!!!
Abaixo a foto do 1º compacto:


Poucos meses depois foi lançado o disco "Please Please Me" e os compactos de "From Me To You", "She Loves You" e "I Wanna Hold Your Hand", todos sucesso absoluto. Mais tarde saiu o disco "With The Beatles", que consegue um sucesso ainda maior que o anterior.



Apesar do sucesso absoluto na Inglaterra e Europa, os Estados Unidos, grande mercado e a nação que definia o mercado mundial de música, se negava a aceitar os Beatles.
Mais uma vez coube a Brian Epstein mudar a situação agendando uma apresentação dos Beatles no maior programa de televisão americano.

Na chegada da banda aos Estados Unidos os repórteres foram surpreendidos pelo bom humor e inteligência dos rapazes.
A América notou que havia naquela banda estranha de garotos cabeludos algo que faltava aos artistas americanos.

A apresentação no programa de Ed Sullivan foi um sucesso e o single de "I Wanna Hold Your Hand" subiu imediatamente ao topo da parada americana.




Foi lançado então o disco "Introducing the Beatles", na realidade uma compilação de "Please Please Me" e "With the Beatles".

Teve início a beatlemania, registrada no filme "A Hard Day's Night", que documentava um dia na vida dos Beatles. e que foi acompanhado pela trilha sonora de mesmo nome.
Mais do que discos a banda vendia todos os tipos de material publicitário e artefatos.
Aproveitando a repercussão da turnê nos Estados Unidos foi lançado às pressas o álbum "Beatles For Sale".
      

Assista no link abaixo o Trailer do Filme A Hard Days Night:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=q0eJEX5c1sM

Em 1965 foi lançado o LP "Help!" e o filme de mesmo nome, desta vez uma sátira musical aos filmes de espionagem.
O disco registrava o momento de pressão por que passava a banda, tocando, compondo e gravando exaustivamente para atender aos fãs e à gravadora.

Abaixo, o link da música Help, sensacional:

http://www.youtube.com/watch?v=TU7JjJJZi1Q&feature=player_detailpage

A banda, principalmente Lennon, aumentou a sua experimentação com drogas.
Então o que aconteceu?
A monarquia inglesa decidiu conceder à banda condecorações de mérito em virtude de serem os Beatles grandes exportadores e geradores de divisas para o país.

A evolução musical e amadurecimento da banda se refletiram no disco "Rubber Soul" lançado no final de 1965.
As músicas bobas da fase inicial haviam dado lugar a arranjos complexos, instrumentos exóticos, experimentação no estúdio e letras elaboradas.
Pela primeira vez o rock era encarado com seriedade e deixava de ser apenas uma forma de diversão.
 
A influência de drogas alucinógenas na inspiração das músicas ficaria mais clara ainda com o lançamento de "Revolver".
Na época uma declaração descuidada de John de que "os beatles são mais famosos que Cristo" gera uma onda de protestos em todo o mundo.
A banda resolve deixar de fazer shows ao vivo em virtude de ser praticamente impossível repetir no palco os resultados de estúdio.
A beatlemania havia acabado e os Beatles eram agora mensageiros do inconformismo da juventude.

A banda decidiu então marcar sua passagem pelo mundo da música com um disco definitivo.
A idéia inicial era gravar um álbum duplo totalmente diferente nos mínimos detalhes de tudo o que já houvesse sido feito.

O resultado saiu em 1967 na forma do álbum "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band".
O disco disputa com Piper at gates of Dawn, do Pink Floyd, o mérito de ter sido o marco inicial do rock progressivo.
Sucesso absoluto de público e crítica.


A banda partiu juntamente com um grupo de amigos para um retiro promovido pelo líder espiritual oriental conhecido como Maharishi.
Lá receberam com surpresa e pesar a notícia de que o empresário Brian Epstein havia morrido de uma overdose de calmantes.
   
Os Beatles voltaram à Inglaterra para tentar reorganizar seus negócios sem a ajuda do empresário. Brian Epstein era o responsável por toda a organização financeira e logística da banda, que tentou prosseguir sem ele criando a gravadora Apple.

Devido à má administração a gravadora estava afogada em dívidas dentro de pouco tempo.
Os problemas financeiros viriam a piorar o relacionamento entre os membros do grupo.
Gravaram então o filme "Magical Mistery Tour".
Partindo apenas da idéia de filmar uma viagem, sem roteiros pré-definidos, o filme se transformou no maior fiasco da história dos Beatles, ignorado pelo público e esmagado pela crítica.

Após o lançamento do filme e da trilha sonora os Beatles partiram para uma viagem à Índia acompanhados de um grupo de amigos para um encontro com o Maharishi.
A banda voltaria poucos dias depois desiludida com o guru que mostrou não seguir seus próprios ensinamentos e tentou seduzir uma das mulheres que faziam parte do grupo.

A banda reconquistou o agrado do público e crítica com o lançamento de "Hey Jude", uma música que tinha todos os motivos para ser rejeitada pelas rádios em virtude de seus mais de sete minutos de duração mas que se tornou um dos maiores sucessos dos Beatles.

Abaixo o link do vídeo fantástico de Hey Jude:
 http://www.youtube.com/watch?v=wM0IDLAntVM&feature=player_detailpage

Porém nem tudo estava bem. O clima pesado nas gravações do "White Album" levariam mesmo Ringo a abandonar a banda durante alguns dias.
A situação ficou mais delicada quando John Lennon passou a insistir que sua nova namorada, Yoko Ono, participasse das gravações.


Apesar do sucesso alcançado pelo álbum branco os Beatles estavam com uma situação financeira pior a cada dia.
Em 1968, para cumprir contratos que prometiam um novo filme longa metragem, contrataram a criação de um desenho animado. O resultado foi o excelente "Yellow Submarine".
A trilha sonora do filme contava com composições dos Beatles e instrumentais criados pelo produtor George Martin.

Numa tentativa de retomada da espontaneidade e energia do início da carreira Paul McCartney criou o projeto "Get Back", que deveria ser composto de um filme e um disco de rock and roll, gravados sem truques de estúdio.
Após as tomadas iniciais as divergências entre os membros da banda levaram ao abandono do projeto que mais tarde seria aproveitado no lançamento do disco "Let It Be".

Em 1969, em meio a um momento de trégua dentro da banda e com os problemas financeiros praticamente resolvidos foi gravado o excepcional "Abbey Road".


Enquanto todo o mundo aceitava o disco como uma prova definitiva de que os Beatles estavam novamente juntos e durariam para sempre John Lennon e Paul McCartney preparavam seus discos solos.

Com o comunicado oficial do fim da banda em 10 de Abril de 1970 a gravadora terminou a mixagem do material gravado do projeto Get back e lançou o disco "Let it Be".

Desde então os apreciadores da banda passaram a fomentar uma nova reunião que só viria a ser descartada de vez com a morte de John Lennon em 1980.

Sobre Lennon, ele será a nossa personalidade na próxima matéria, até lá!!!



quinta-feira, 23 de maio de 2013

Joe Cocker!




John Robert "Joe" Cocker, Nasceu no dia 20 maio de 1944 em Sheffield, Yorkshire, Inglaterra Ele é o filho mais novo de Harold Cocker, e Madge Cocker . Cantor de rock/blues é mais conhecido por sua voz e sua interpretação e versões de canções populares, especialmente os dos Beatles.

Nos shows Cocker exibia uma intensidade física incrível enquanto cantava, e sua presença no palco era freqüentemente parodiada por John Belushi (houve até mesmo um dueto improvável quando Joe foi convidado especial do Saturday Night Live.)

Com êxitos gravados nas décadas de 60, 70, 80 e 90, Cocker adquiriu já um estatuto de lenda viva do rock. Cocker teve sua principal influência musicail, Ray Charles e Lonnie Donegan.

Sua primeira experiência cantando em público foi aos 12 anos quando  seu irmão mais velho Victor convidou-o para cantar no palco durante um show de sua banda skiffle.

Em 1960, juntamente com três amigos Cocker formou sua primeira banda, o Cavaliers. As suas actuações iniciais foram realizadas sob o pseudónimo de Vance Arnold, em pubs de Sheffield, cidade onde nasceu.

O músico conciliva o seu emprego diurno no ramo da instalação de gás, com espectáculos onde interpretava temas de Ray Charles, com a banda The Avengers.


Vance Arnold and the Avengers viveram o seu momento alto em 1963, quando fizeram a primeira parte de um concerto dos Rolling Stones, em Sheffield.

No ano seguinte, Joe Cocker abandonou o emprego diurno e lançou o seu primeiro single, uma versão do tema dos Beatles "I'll Cry Instead", com a colaboração da banda Joe Cocker Big Blues.

O cantor conquistou os Estados Unidos, em 1969, quando marcou presença no programa de televisão Ed Sullivan Show ,  e se apresentou em festivais de Verão, dentre  os quais, o Inesquecível Festival de Woodstock.
  

Em 1970 o single "Mad Dogs and Englishmen", o levou a uma turnê em quarenta e oito cidades, num espaço de cinquenta e seis dias. Nesse ano, o músico vendeu mais de três milhões de discos só nos Estados Unidos e os seus três primeiros álbuns chegaram à platina. 

Foi nos anos 70 que Cocker teve problemas com drogas, e álcool, o que prejudicou sua carreira, mas se livrou dos problemas, e já na década de 80, a carreira de Joe Cocker continuou a ser marcada pelo sucesso, tendo o cantor aceitado o convite dos Crusaders para colaborar no tema "I'm So Glad I'm Standing Here Today", exclusivamente escrito para ele, e interpretado na cerimónia dos Grammys de 1992.

Joe Cocker é interprete de canções maravilhosas como "You Are So Beautiful", "Unchain  My Heart", "You Can Leave Your Hat On", " Don´t You Love Me Anymor", entre outras.

DISCOGRAFIA:
With A Little Help From My Friends (1969)
Joe Cocker! (1969)
Mad Dogs & Englishmen (1970)
Joe Cocker (1972)
I Can Stand A Little Rain (1974)
Jamaica Say You Will (1975)
Stingray (1976)
Greatest Hits (1977)
Luxury You Can Afford (1978)
Sheffield Steel (1982)
Civilized Man (1984)
Cocker (1986)
Unchain My Heart (1987)
One Night Of Sin (1989)
Joe Cocker Live (1990)
Night Calls (1992)
The Best Of Joe Cocker (1993)
Have A Little Faith (1994)
The Long Voyage Home (1995)
Organic (1996)
Across From Midnight (1997)
Greatest Hits (1998)
No Ordinary World (1999)
Respect Yourself (2002)
Heart & Soul (2005)
Hymn for my soul (2007)
Hard Knocks (2010)
Fire It Up (2012)
                    
                                       

terça-feira, 21 de maio de 2013

O Último Líder dos Doors!


                     

Ray Manzarek, que entrou para a história como tecladista do The Doors, morreu no último dia (20) aos 74 anos após anos de luta contra um câncer no ducto biliar.
Manzarek foi tão importante quanto Jim Morrison, morto em 1971, na criação do som da banda de Los Angeles.
O seu timbre inconfundível de teclado é parte fundamental de músicas como "Light My Fire, "L.A. Woman", "People Are Strange" e basicamente todo o repertório da banda.


Foi ele quem cuidou dos lançamentos póstumos da banda e, principalmente, ajudou na mistificação de Jim Morrison - talvez o principal fator para que a banda seguisse popular por gerações e gerações. 
A banda já vendeu mais de 100 milhões de discos mundialmente e entrou para o Hall da Fama do Rock em 1993.

A banda continuou unida após a morte do cantor, mas após o lançamento de dois álbuns que fracassaram comercial e criticamente, o trio remanescente concluiu que não havia como existir um The Doors sem Jim Morrison.

As décadas seguintes viram renovações cíclicas no interesse da banda. 
No fim dos anos 70 e começo dos 80, os Doors serviram de inspiração para muitas bandas do pós-punk. 
Manzarek retribuiu o carinho ao trabalhar com grupos como o X e o Echo And The Bunnymen.

Os anos 90 foram marcados pelo lançamento da hoje muito criticada cinebiografia da banda, dirigida por Oliver Stone. 
O filme fez enorme sucesso e apresentou a música do quarteto para mais outra geração. A década também foi marcada pelo lançamento de muito material de arquivo do grupo.


Finalmente, no século 21, Manzarek se viu envolto em uma série de polêmicas quando decidiu, ao lado do guitarrista Robbie Krieger, voltar a excursionar usando o nome "The Doors. 
O baterista John Densmore foi contra a decisão e os dois passaram a fazer shows usando nomes como "D21C", "The Doors of the 21st Century" ou "Riders Of The Storm". 


Essa formação chegou a se apresentar na década passada no Brasil, com Ian Astbury do The Cult assumindo o posto que pertencera a Jim Morrison.

Ray Manzarek sempre esteve atento às novidades do mundo da música. Por isso, não foi nenhuma surpresa vê-lo reunido ao lado de seus dois ex-colegas de banda em um single do astro da música eletrônica Skrillex, "Breakn' A Sweat", que também contém a voz sampleada de Jim Morrison.

Manzarek era casado com Dorothy Fujikawa desde 1967. Os dois tiveram um filho e três netos.



                    




sexta-feira, 17 de maio de 2013

Herbert Vianna!


                                 
                         


No último dia 04 de maio, Herbert Lemos de Souza Vianna, o Herbert Vianna, vocalista, e líder da banda Paralamas do Sucesso completou 52 anos de vida.

Herbert nasceu na Paraíba em 1961, mas foi criado em Brasília, devido à vida militar do seu pai , o brigadeiro Hermano Vianna.

Foi em Brasília que Herbert conheceu Bi Ribeiro, e nos anos 80 mudaram-se para o Rio de Janeiro onde formaram os Paralamas, algumas pessoas consideram a banda como parte das famosas bandas que vieram de Brasília, casos de Capital Inicial, e Legião Urbana, com o amigo Vital na bateria.

Vital foi substituído por João Barone, por isso foi feita a canção "Vital e sua Moto" em homenagem ao amigo, e foi o primeiro sucesso dos Paralamas.


Após 10 anos de sucesso da Banda, Herbert Vianna lançou seu primeiro trabalho solo, em 1992 "Ê Batumaré". Em 1996, o segundo disco solo "Santorini Blues"que foi gravado em Los Angeles. Em 200, "O Som do Sim" com participações de Cássia Eller, Fernanda Abreu, Nana Caymmi, Sandra de Sá, e Marcos Vale.
Herbert ainda produziu três discos da Banda "Plebe Rude" em 86, 87, e 2000.
Teve um relacionamento durante anos com a cantora Paula Toller do Kid Abelha, e depois casou com a inglesa Lucy Needham, com quem teve os filhos Luca, Hope, e Phoebe.




Desde muito cedo Herbert sempre teve paixão por pilotar helicópteros, e ultraleves.



Em 2001 aconteceu uma tragédia na vida do vocalista dos Paralamas do Sucesso. No dia 04 de fevereiro, sofreu um acidente aéreo em Mangaratiba, RJ, quando o ultraleve pilotado caiu no mar, na baía de Angra dos Reis. No acidente, infelizmente sua esposa Lucy morreu, e Herbert ficou internado durante 44 dias, parte deles em estado de coma.


O músico ficou paraplégico, e perdeu a memória, porém, em um processo de recuperação gradual retomou sua carreira de forma surpreendente, voltando aos palcos.


O cantor que havia deixado o hospital no dia 20 de março de 2001, em 2003 já trabalhava no lançamento do cd "Longo Caminho". Ainda lançou com os Paralamas "Uns Dias ao Vivo" em 2004, "Hoje" em 2005, "Brasil Afora" em 2009, e o trabalho "Victoria" em 2012.

                        




sábado, 11 de maio de 2013

Rei do Reggae!



                                             




Bob Marley marcou toda uma geração e até hoje continua sendo forte influência com suas músicas, suas frases, sua história de vida.


Robert Nesta Marley, nasceu na Jamaica no dia 06 de Fevereiro em 1945, era um cantor, compositor e guitarrista e foi o maior responsável em fazer com que o reggae se tornasse reconhecido no mundo inteiro.

Como tantos outros artistas, teve uma história marcada por uma vida muito difícil, precisou superar obstáculos ainda bem cedo e na juventude de Marley, nas favelas de Kingston, ele retirou boa parte das histórias que iriam fazer parte de suas músicas. 

Seu primeiro grande sucesso foi sem dúvida alguma “No Woman No Cry”, que fez com o reggae ganhasse a tão sonhada fama internacional.

Depois vieram os sucessos em I Shot the Sheriff e Get Up, Stand Up. 

Até quem não gosta de Bob Marley com certeza conhece uma ou algumas de suas músicas. 
Uma outra marca registrada de Bob Marley era sua paixão pela religião rastafári, influência essa que veio de sua esposa Rita e que posteriormente, se difundiu pelo mundo sempre com a marca registrada de suas madeixas e seu estilo de vida rasta. 




Mais tarde esta influência seria fator decisivo na vida do cantor. 

Bob Marley fazia parte do grupo The Wailers e sua esposa Rita Marley do grupo I threes que passaram a cantar com os Wailers. Ela foi a mãe de 4, dos 12 filhos de Bob Marley e muitos deles seguiram a carreira musical, inclusive Ziggy e Stephen Marley que fazem parte do Melody Makers.



Bob Marley deixou a Jamaica em 1976 e foi morar na Inglaterra, onde foi preso por portar um cigarro de maconha.

Gravou vários álbuns e dedicou sua vida como artista para falar sobre os problemas sociais, fazendo suas próprias críticas em cada letra que escrevia.                                                




Assim, as músicas de Bob Marley foram conquistando mais a juventude da época que se inspiravam em suas canções e reconheciam nelas palavras de força, apoio e principalmente letras que contavam a realidade vivida não só por Marley mas também por eles.

Suas canções conseguiram ultrapassar gerações e mesmo depois de sua morte em 1981, em Miami, quando foi vítima de um câncer de pele que se espalhou para outros órgãos, sua música continuou sendo espalhada por seus fãs ao mundo inteiro. 





                             


Bob Marley – Greatest Hits
Bob Marley – Live at the Roxy (2003)
Bob Marley – One Love (2001)
Bob Marley – Talkin’ Blues (1991)
Bob Marley – Legend (1984)
Bob Marley – Confrontation (1983)
Bob Marley – Uprising (1980)
Bob Marley – Survival (1979)
Bob Marley – Babylon by Bus (1978)
Bob Marley – Kaya (1978)
Bob Marley – Exodus (1977)
Bob Marley – Rastaman Vibration (1976)
Bob Marley – Live! (1975)
Bob Marley – Rasta Revolution (1974)
Bob Marley – Burnin’ (1973)
Bob Marley – Catch a Fire (1973)
Bob Marley – The Best of The Wailers (1971)
Bob Marley – Soul Revolution (1971)
Bob Marley – Soul Rebels (1970)
Bob Marley – The Wailing Wailers (1965)



                      

terça-feira, 7 de maio de 2013

Freddie!



                              
Freddie Mercury, nome artístico de Farrokh Bommi Bulsara, (Zanzibar, 5 de Setembro de 1946 — Londres, 24 de novembro de 1991 foi o vocalista e líder da banda de rock britânica Queen. Ele é considerado pelos críticos como um dos melhores artistas de sempre e com uma das vozes mais conhecidas do mundo, e numa recente pesquisa realizada com vários músicos conhecidos, ele foi eleito, o melhor cantor de rock de todos os tempos.

Freddie Mercury nasceu na localidade de Stone Town, na ilha Zanzibar, à época colônia britânica, hoje pertencente à Tanzânia, na África Oriental. Seus pais, Bomi Bulsara e Jer Bulsara, eram indianos de etnia persa. Mercury foi educado na St. Peter Boarding School, uma escola inglesa perto de Mumbai, na Índia, onde deu seus primeiros passos no âmbito da canção, ao ter aulas de piano. Foi na escola que ele começou a ser chamado “Freddie” e, com o tempo até os seus pais passaram a chamá-lo assim.


Depois de se formar em sua terra natal, Mercury e família mudaram-se em 1964 para a Inglaterra devido a uma revolução iniciada em Zanzibar. Ele tinha dezoito anos. Lá diplomou-se em “Design Gráfico e Artístico” na Ealing Art College, seguindo os passos de Pete Townshend. Este conhecimento mostrar-se-ia útil depois de Freddie projetar o famoso símbolo da banda.

Algo que poucos fãs sabem é que na escola de artes em que se bacharelou, Freddie era conhecido como um aluno exemplar e muito quieto. Tinha uma personalidade bastante introspectiva. Concluiu os exames finais do curso com conceito A. Possui uma série de trabalhos em arte visual, hoje disponíveis em alguns sítios na internet.

Na faculdade ele conheceu o baixista Tim Staffell. Tim tinha uma banda na faculdade chamada Smile, que tinha Brian May como guitarrista e Roger Taylor como baterista, e levou Freddie para participar dos ensaios.

Em abril de 1970, Tim deixa o grupo e Freddie acaba ficando como vocalista da banda que passa a se chamar Queen. Freddie decide mudar o seu nome para Mercury. Ainda em 1970 ele conheceu Mary Austin, com quem viveu por cinco anos.Foi com ela que assumiu sua opção sexual,e mantiveram forte amizade até o fim de sua vida.


Mercury compôs muitos dos sucessos da banda, como “Bohemian Rhapsody”, “Somebody to Love”, e “We Are the Champions”; hinos eloqüentes e de estruturação extraordinária, particulares e sempiternos.

Lançou dois discos solo, aclamados pela crítica e público. Em 1991 surgiam rumores que Mercury estava com AIDS,que se confirmaram em uma declaração feita por si mesmo em 23 de novembro um dia antes de morrer,vindo a falecer na noite de 24 de novembro de 1991 em sua propria casa.


Em 25 de novembro de 1992 foi inaugurada uma estátua em sua homenagem, com a presença de Brian May, Roger Taylor, da cantora Montserrat Caballé, Jer e Bomi Bulsara (pais de Freddie) e Kashmira Bulsara (irmã de Freddie) em Montreux, na Suíça, cidade adotada por Freddie como seu segundo lar.

Os membros remanescentes dos Queen fundaram uma associação de caridade em seu nome, a “The Mercury Phoenix Trust”, e organizaram em 20 de abril de 1992, no Wembley Stadium, o concerto beneficente “The Freddie Mercury Tribute Concert” para homenagear o trabalho e a vida de Freddie.

O cantor também foi conhecido pelo pseudônimo de Larry Lurex e pelo apelido Mr. Bad Guy.

Discografia Solo

    * Mr. Bad Guy (1985)
* Barcelona (álbum) (1988) (com Montserrat Caballé)
* The Freddie Mercury Album (versão americana) (1992)
* The Great Pretender (versão européia) (1992)

Curiosidades

* Freddie Mercury por toda sua vida nunca soube dirigir qualquer automóvel.
* Mercury era bissexual e era constantemente visto em companhia de homens e/ou mulheres.
* Seu maior sonho era cantar ao lado de Montserrat Caballé. Realizou o sonho em 1988, com o álbum Barcelona.
* Há um anime chamado Sakigake!! Cromartie High School com um personagem chamado Freddie que possui características físicas bastante semelhantes com as do vocalista principal da banda Queen.